O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Educação Financeira

Novo sistema de pagamento Pix: 20 perguntas que você precisa saber agora

16 OUT 20
COMPARTILHE

Tire todas as suas dúvidas sobre os pagamentos via Pix e dicas para utilizar esse sistema de pagamento instantâneo

Todos sabem que o assunto do momento é o novo sistema de pagamento Pix do Banco Central, não é mesmo? Bancos e outras instituições financeiras estão investindo na comunicação sobre o tema, chamando clientes para cadastrar chaves e atualizando os serviços em seus aplicativos.

Mas sempre surgem aquelas dúvidas na hora de utilizar a forma de pagamento via Pix. Por isso, preparamos 20 perguntas e respostas que esclarecem tudo sobre o Pix para deixar você tranquilo e por dentro de tudo o que acontece. Vamos lá?

1 - O que é o Pix? 

O Pix é o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central que permitirá transferências de recursos entre pessoas, empresas ou entidades governamentais, 24 horas por dia e 7 dias por semana, mesmo durante finais de semana e feriados. 

2 - Quais os benefícios do Pix?

Além da facilidade e agilidade em permitir transações em tempo real, todos os dias e a qualquer hora, informando apenas um dado (chave), o Pix pretende simplificar os pagamentos, promover mais competitividade no mercado, baixar os custos dos serviços e melhorar a segurança e a experiência dos usuários. 

3 - Qual o custo do Pix?

O sistema de pagamento Pix para Pessoas Físicas e Microempreendedores Individuais (MEI) as transações, pagamentos e transferências são gratuitas. 

Para Pessoas Jurídicas (empresas), poderão ser cobradas por transação, com um custo fixo. Essa cobrança ficará a cargo das instituições financeiras. 

4 - Quando posso utilizar o Pix? 

O processo para criação das chaves foi liberado no último dia 5 de outubro e a partir de 16 de novembro será possível realizar transações. 

5 - O Pix é um aplicativo?

Não. O Pix é um sistema que será integrado nos aplicativos dos bancos, fintechs e carteiras digitais. 

6 - O que são as chaves?

As chaves são um recurso do Pix para as transferências ou pagamentos. Com ela, você não precisa informar nome completo, CPF/CNPJ, código ou nome do banco, agência e número da conta para realizar uma transação, basta informar um dado, ou seja a sua chave, ao pagador. 

É possível cadastrar como chave: 

  • CPF;
  • E-mails;
  • Número de telefone celular;
  • Chave aleatória (sequência alfanumérica gerada pelo Banco Central) .

Ao cadastrar um dos dados como chave em uma instituição, não será possível utilizar a mesma chave em outra. 

7 - Preciso ter uma chave para utilizar o Pix?

Não. É possível fazer transações utilizando o Pix sem cadastrar nenhuma chave, no entanto, será necessário informar todos os dados da conta (nome completo, CPF/CNPJ, código do banco, agência e número da conta).

De acordo com o Bacen, as transações sem chave podem demorar mais para serem efetuadas do que as transações utilizando chaves. 

8 - Qual chave Pix é mais segura?

As chaves aleatórias ou Endereçamento Virtual de Pagamento (EVP) são sequências alfanuméricas que servirão para identificar uma conta recebedora do Pix e são consideradas mais seguras por serem difíceis de memorizar e precisam ser geradas na hora da transferência.

No momento da transação utilizando o pagamento via Pix, ao invés de informar uma chave de endereçamento (e-mail, telefone ou CPF) será possível informar essa sequência aleatória e o pagamento ou transferência será realizado.

9 - Como cadastrar uma chave aleatória (EVP)?

Essa opção é oferecida ao fazer o cadastro de chaves na área Pix dos aplicativos de bancos e instituições financeiras. Basta clicar na opção e seguir os passos de criação da chave. O Banco Central irá gerar uma sequência aleatória de 32 dígitos alfanuméricos e essa será a sua chave para aquela instituição. 

10 - Como funciona o cadastro para empresas?

O processo de cadastro para Pessoas Jurídicas (empresas) funciona da mesma maneira que para Pessoas Físicas. É necessário ter uma conta transacional em um banco, fintech ou plataforma de pagamentos (carteiras digitais).

Basta acessar a área do Pix na instituição e fazer o cadastro de uma chave de endereçamento ou aleatória.

11 - Posso transferir uma chave de um banco para outro?

Sim. Será possível realizar a portabilidade das chaves fazendo a solicitação na área Pix do aplicativo da instituição. O processo leva até sete dias para ser concluído.

12 - Existe um limite de chaves que posso cadastrar?

Sim. Para Pessoas Físicas, o limite é de até cinco chaves por conta. Já para Pessoas Jurídicas o limite é de 20 chaves por conta. 

13 - Precisa ter dinheiro na conta para fazer Pix?

Sim. Para fazer transações utilizando o sistema Pix, será necessário ter dinheiro na conta e não é possível utilizar a função crédito com o Pix.

14 - O que pode ser pago com Pix?

Qualquer coisa. Será possível realizar pagamentos e transferências para qualquer pessoa ou empresa que tenha Pix. 

15 - Haverá um limite de valor por transação?

Para diminuir as chances de fraude, o Banco Central definiu que as instituições financeiras podem estabelecer limites máximos para transações via Pix, dentro dos padrões preestabelecidos na Instrução Normativa BCB nº 20. Esses valores máximos não poderão ser menores do que os definidos pelo Bacen. 

16 - Preciso ter conta em um banco para utilizar?

Não necessariamente. O Pix também estará disponível em fintechs e carteiras digitais como Picpay e Mercado Pago. 

17 - Qual a diferença entre um Pix e um TED ou DOC?

A principal diferença é a possibilidade de realizar as transações a qualquer hora de qualquer dia, diferente dos TEDs e DOCs que funcionam apenas em dias úteis. Além disso, as transações Pix acontecem em tempo real, em até 10 segundos, já os TEDs e DOCs podem levar até um dia útil. 

Assim como também não será necessário ter uma conta bancária para realizar e receber transações, já que o Pix está disponível em carteiras digitais. 

Outra diferença é a chave, que acaba com a necessidade de informar vários dados para realizar uma transação. 

18 - Como cancelar um Pix?

Em caso de uma transferência incorreta, é recomendável que você entre em contato com a pessoa ou fale com o departamento do seu banco para obter assistência de como solicitar o estorno do Pix. Há casos que é necessário fazer um boletim de ocorrência e notificar sua instituição financeira por meio dos canais oficiais de atendimento ao cliente, como SAC, Ouvidoria ou pelo app do seu banco.

Para evitar fraudes e melhorar a segurança do sistema de pagamento via Pix, o Banco Central lançou uma ferramenta de segurança conhecida como Mecanismo Especial de Devolução (MED), que auxilia na recuperação de fundos em caso de falhas operacionais ou fraudes.

19 - O que é QR Code estático e dinâmico? 

No Pix, haverá duas opções de QR Code para pagamentos: o estático e o dinâmico. Porém, a usabilidade para o usuário é a mesma, que poderá escanear o código com o celular para efetuar o pagamento. 

O QR Code estático será emitido apenas uma vez e pode ser utilizado em diversas transações. Pode ter um valor fixo ou o pagador pode inserir o valor a ser pago ao escanear o código para realizar a transação.

O QR Code dinâmico será único e exclusivo em cada transação. A empresa recebedora irá emitir um QR Code com um valor predeterminado e ela servirá apenas para o pagar realizar aquela transação específica. 

20 - É seguro utilizar o Pix?

Sim. As transações são criptografadas e o sistema protegido pelo sigilo bancário e pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

E aí, deu para tirar as dúvidas sobre o tema? Se gostou desse conteúdo, continue acompanhando as nossas postagens por aqui e siga Banco Bari nas redes sociais.

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.