O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Educação Financeira

Educação financeira infantil, por que ela é tão importante

29 JAN 21
COMPARTILHE

Descubra como criar situações que ajudam os pequenos a lidar melhor com dinheiro

A educação financeira é responsável por fazer com que as pessoas desenvolvam habilidades eficazes para lidar com o dinheiro. É fundamental que ela esteja presente ainda na infância.

De acordo com a Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil), 1 a cada 3 estudantes aprendem a poupar dinheiro depois de participar de projetos de educação financeira.

A seguir, você aprenderá como abordar a educação financeira infantil. Descubra quais são as maneiras de ensinar crianças e jovens a administrarem o dinheiro, traçar metas e conquistar objetivos.

Educação financeira infantil nas escolas

Pais e escolas têm se empenhado para que crianças aprendam a poupar e controlar gastos. Diante disso, um dos tópicos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) prevê o ensino de educação financeira infantil.

O ensino do tema passou a ser abordado pelas escolas em forma de aulas e projetos. Em 2020, o Ministério da Educação homologou a inclusão dessa competência ao currículo da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Fonte: Cássia D'aquino, Alvaro Mondernell e AEF

Importância da educação financeira na infância

A educação financeira infantil é reflexo de um movimento que vem se consolidando a partir das mudanças das relações de pessoas com o mundo do trabalho e autogestão. Ela é primordial para as novas gerações.

Com a volatilidade das relações trabalhistas e a tendência à contratação de profissionais autônomos em regime PJ, ensinar os pequenos a lidar com o dinheiro implica em tomada de decisões mais conscientes e seguras.

Diante dessa realidade, é natural que os pais se preocupem com o futuro de seus filhos e sintam a necessidade de fazer com que eles compreendam a importância de controlar o dinheiro. Afinal, isso fará com que eles se tornem adultos mais conscientes.

Objetivo da educação financeira

Um dos principais objetivos da educação financeira para crianças é fazer com que elas entendam que, como já diziam nossos pais e avós, “dinheiro não dá em árvore”. Isso significa que devemos ensinar que os recursos são escassos e devem ser gerenciados.

Além disso, a educação financeira infantil serve para que os pequenos compreendam que não se pode ter tudo no momento que deseja. Essa premissa dá margem para ensiná-los a lidar com frustrações e planejamento.

Como ensinar finanças aos filhos

Como já dissemos, a educação financeira infantil é responsável por criar gerações mais responsáveis com o dinheiro. Isso acaba interferindo positivamente em outros contextos, como o consumo consciente, respeito ao meio ambiente, entre outros.

Para ensinar as crianças a organizar melhor seu dinheiro, é importante ensiná-las a traçar metas e objetivos com cada centavo que ganham. Mais do que economia, você fará com que elas compreendam valores e mecanismos de autogestão.

Várias são as possibilidades para que isso seja colocado em prática. O ideal é escolher as que mais se adequam à idade, perfil e comportamento de cada criança. Usar um contexto lúdico, geralmente, rende bons resultados.

A seguir, você conhecerá os principais métodos práticos, sobretudo com crianças que fazem parte do universo da Educação Infantil.

Mesadas

Estabeleça um valor que pode ser dado mensalmente às crianças. A quantidade deve estar coerente com a capacidade financeira de cada família. O ideal é que esse dinheiro seja gerido de acordo com os objetivos dos pequenos.

É fundamental que eles sejam incentivados a poupar e organizar as finanças para cada meta, como comprar um brinquedo, tomar um sorvete, ir ao cinema e por aí vai... Você pode criar um cofrinho para cada objetivo, por exemplo.

 

Confira um guia completo de como ensinar crianças sobre dinheiro por idade. 

 

Recompensas

Tome cuidado para não confundir mesada com recompensa. A mesada pode ser aumentada ou diminuída a partir de acordos que vocês podem fazer para estimular as crianças a cumprir com suas obrigações escolares e domésticas.

A recompensa serve como uma renda extra e deve ser dada quando elas executam uma atividade que não faz parte de sua lista de obrigações. Evite dar recompensa por boas notas ou pela arrumação da cama. Isso deve ser entendido como obrigação.

Participação no planejamento financeiro da família

Inserir a criança no planejamento financeiro doméstico vai fazer com que ela compreenda o valor de cada coisa e a necessidade de organização, para dar conta de todas as despesas. Mostre as contas que devem ser pagas e de que forma elas pesam no orçamento.

Explique que economizar com água e energia, por exemplo, pode ajudar na organização daquela viagem de férias em família. Envolver os filhos nos assuntos familiares fará com que eles aprendam desde cedo a importância da negociação e trabalho em equipe.

Aprendendo com histórias

Como a gente já disse, aprender de forma lúdica é a melhor estratégia de educação financeira infantil. Vale a pena explorar a imaginação das crianças com histórias e fábulas.

Além de criar o gosto pela leitura, elas terão acesso a diferentes maneiras de lidar com o dinheiro. A fábula “A Cigarra e a Formiga” e o livro “Como se fosse dinheiro”, de Ruth Rocha, são úteis para introduzir conceitos financeiros importantes para as crianças.

Livro A Cigarra e a Formiga

Livro Como se fosse dinheiro

Brinquedos educativos

Brincando também se aprende educação financeira. Caixas registradoras, por exemplo, são ótimas ferramentas para ensinar matemática, preços de produtos, entre outras situações.

Jogos como Banco Imobiliário e Monopoly também são ótimas maneiras de introduzir os pequenos no universo das finanças. Eles estão disponíveis para diferentes faixas etárias e podem, inclusive, ser acessados em sua versão online.

Adultos devem ser exemplos

As crianças sempre observam os pais e usam seu comportamento como referência. Por isso, é importante definir um exemplo saudável em relação ao padrão de organização, gastos, prioridades, reserva de emergência, entre outros quesitos.

Se você discutir com seu cônjuge sobre dinheiro, a criança pode interpretar isso como algo negativo. Por outro lado, quando vocês entram em um consenso e resolvem problemas de forma harmônica, ela absorverá isso com leveza e tranquilidade.

Educação financeira: como economizar nos gastos sem abrir mão do lazer?

Aprender com erros

Às vezes, é importante deixar que as crianças cometam erros para que elas vivenciem as consequências de uma escolha errada. Esse é um dos aprendizados mais importantes de atividades de educação financeira para crianças.

Se ela gastar todo dinheiro em um passeio e não conseguir comprar o brinquedo que deseja, não se ofereça para pagar ou completar com o valor restante. Certamente, da próxima vez, ela pensará melhor antes de gastar suas economias.

Lembre-se de que a educação financeira infantil abre portas para o consumo consciente, auto-organização, conquista de sonhos e controle de gastos. Com as dicas que apresentamos neste artigo, você pode começar agora mesmo a trabalhar o tema com os pequenos.

Em breve, você vai descobrir uma nova maneira, muito mais moderna e simples, de poupar dinheiro, dar mesada para o seu filho e organizar as finanças com o Bari. 

Continue acompanhando as nossas postagens por aqui e não esqueça de seguir Banco Bari nas redes sociais para não perder nada. 

 

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.