O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Educação Financeira

Educação financeira nas escolas: o que a economia do Brasil ganha com isso

29 MAR 21
COMPARTILHE

A alfabetização financeira surge como um vetor de impacto na economia do Brasil, veja a seguir o porquê

A crise econômica ocasionada pela pandemia de COVID-19 fez ressurgir uma pauta importante, porém, até bem pouco tempo, não muito debatida no país: a educação financeira nas escolas.

Esse momento que estamos vivendo é o cenário ideal para se discutir sobre a importância da alfabetização financeira de crianças e jovens. Além disso, é preciso analisar e levar em conta o impacto desse contexto na economia do Brasil.

Por que e como conhecer melhor e aprender a lidar com as suas finanças particulares influencia na dinâmica econômica do país? Essa é uma das muitas questões que envolvem o tema e vamos abordar a seguir. Confira!

Importância da educação financeira para crianças e adolescentes

A importância de se ter um componente curricular desse nível na base educacional de crianças e adolescentes vai além da organização financeira individual. Afinal, uma vez aprendendo a lidar com o particular, os jovens impactarão o todo.

Segundo a CNC, Confederação Nacional do Comércio, o número de brasileiros endividados cresceu no fim de 2020. Estratégias para amenizar a inadimplência não seriam necessárias se, desde crianças, os brasileiros soubessem lidar com dinheiro.

Ano após ano, o sistema financeiro do Brasil é afetado pelo índice de dívidas não pagas. Além disso, o score de crédito dos brasileiros também fica baixo, uma vez que os hábitos de consumo não são dos melhores.

O impacto da educação financeira na economia do Brasil

A pandemia de COVID-19 deixou os brasileiros em uma situação difícil. Com muitas famílias tendo sua renda diminuída ou sofrendo com demissões, boa parte da população acabou perdendo o controle financeiro.

O cenário poderia ser diferente se, desde cedo, os cidadãos tivessem acesso à educação financeira nas escolas. É fato que a crise não deixaria de existir, mas com esse conhecimento, as famílias conseguiriam lidar melhor com ela.

Consequências do analfabetismo financeiro

Com a carência desse conhecimento, a preocupação em relação ao aumento da inadimplência acontece porque, quanto menos dívidas são pagas, menos dinheiro circula no mercado. Isso acarreta algumas consequências. Confira as principais:

Empresários têm diminuição da receita

Se as dívidas não são pagas, alguém fica sem receber, certo? Geralmente, são os empresários que absorvem e acabam ficando com sua capacidade de compra comprometida. Isso afeta distribuidores e fornecedores, numa cadeia de prejuízos.

Cresce o desemprego

Em alguns casos, a inadimplência ocasiona desemprego. Os empresários não conseguem administrar o déficit financeiro e a alternativa encontrada para contornar a situação é diminuir o quadro de funcionários para poupar.

Diminuição de crédito nos bancos

Para evitar mais inadimplência, as instituições financeiras acabam limitando ou negando a liberação de crédito. Ao mesmo tempo, aumentam os juros de empréstimos, por exemplo.

Todos esses aspectos contribuem para uma bola de neve de problemas financeiros particulares que impactam na economia da nação. Novamente, teríamos um cenário melhor se as pessoas fossem educadas desde cedo a lidar melhor com suas finanças.

ilustração mostra professora ensinando finanças em um quadro e criança sentada em carteira escolar com o braço levantado para perguntar.
A importância de ter educação financeira na base educacional de crianças e adolescentes vai além da organização financeira individual. Afinal, uma vez aprendendo a lidar com o particular, os jovens impactarão o todo.

Como a educação financeira pode ajudar a economia

A educação financeira nas escolas faz frente a alguns aspectos econômicos do país. Ensinando a população a administrar e gerir sua situação financeira, investe-se, a médio e longo prazo, numa consciência econômica que traz os seguintes benefícios:

Reserva de emergência

Com o  acesso à educação financeira desde cedo, os jovens aprenderiam que é importante contar com uma boa reserva de emergência. Essa iniciativa reduziria os danos causados em uma crise financeira, seja ela particular ou não.

Crescimento econômico

Outra vantagem da educação financeira é o crescimento econômico do mercado. Isso porque, com maior poder de compra, contribuição e investimento, acontece a consequente expansão do sistema financeiro.

Se a população estiver alfabetizada financeiramente, ela saberá como conseguir crédito e terá a capacidade de começar a investir com pouco. Afinal, o que importa é o planejamento e a organização financeira para lidar com a quantia que você tiver disponível.

Nós somos grandes incentivadores da educação financeira, sobretudo nas escolas. Nosso papel é estimular os brasileiros a se informarem sobre tudo o que envolve esse contexto, além de facilitar suas experiências bancárias.

Se você quer continuar por dentro dos nossos conteúdos educativos, fique ligado no site do banco bari que sempre tem muita novidade preparada especialmente para você!

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.