O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Planejamento Financeiro

Comprar um imóvel ou ficar no aluguel e investir o dinheiro?

03 SET 21
COMPARTILHE

Antes de decidir, é preciso levar em conta os objetivos, condições financeiras e até o momento econômico do país

Comprar um imóvel é uma grande conquista e uma decisão importante que deve considerar diversos fatores como a renda e tamanho da família, perspectiva profissional, capacidade de assumir um compromisso financeiro mais longo, no caso de um financiamento, endereço do imóvel e o momento econômico do país no momento da compra. 

Nessas horas, pode surgir uma dúvida: o que é melhor financeiramente, comprar um imóvel ou continuar morando de aluguel e investir o dinheiro?

A resposta para essa pergunta não é simples e depende tanto do seu perfil, quanto dos seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Por isso, vamos trazer algumas informações importantes que poderão ajudar na sua decisão. 

Ilustração mostra homem gigante sobre uma grande cidade com uma lupa buscando imóveis.

Aluguel = perder dinheiro?

Para muitas pessoas, morar de aluguel é sempre uma perda de dinheiro, já que uma quantia mensal é paga, aparentemente, sem retorno algum. 

No entanto, em alguns casos, dependendo do momento financeiro do país e da taxa de juros praticada, vale a pena continuar no aluguel e investir o dinheiro da compra ou da entrada. 

De acordo com o valor investido e a taxa de rentabilidade da aplicação, é possível cobrir o valor do aluguel e ainda guardar parte do lucro para adquirir um imóvel em um momento econômico mais oportuno. 
 

Imóvel como investimento

Para quem economizou o dinheiro e está planejando fazer a compra à vista para ganhar com o aluguel, é preciso colocar na ponta do lápis e descobrir a taxa de retorno do imóvel. 

A taxa de retorno do imóvel indica quanto o aluguel cobrado representa em relação ao valor de compra do imóvel. Normalmente, os valores dos aluguéis ficam entre 0,5% e 0,8% do valor total do imóvel. A conta para descobrir a taxa de retorno é: 
 

Valor do aluguel / valor do imóvel x 100 = Taxa de retorno do imóvel 
 

Vamos utilizar um exemplo para facilitar a compreensão: considere um imóvel avaliado em R$ 700 mil, com um  aluguel de R$ 3.500 (taxa de 0,5% do valor de avaliação do imóvel). Utilizando a fórmula:

 

3500 / 700.000 x 100 = 0,5

 

Isso significa que a taxa de retorno do imóvel é de 0,5. Para avaliar sua melhor opção, você deve fazer uma comparação dessa taxa com as rentabilidades de investimentos disponíveis no mercado. Se for possível encontrar uma aplicação financeira com taxa mensal superior a 0,5%, será mais vantajoso adiar a compra do imóvel e investir os R$ 700 mil nessa aplicação. 

Para isso, é preciso estudar o momento econômico e conhecer taxas como Selic e CDI, muito utilizadas como indexadores em investimentos de renda fixa. Atualmente, o CDI está em 5,15% ao ano, ou seja, aproximadamente 0,41% ao mês (agosto/2021). Isso significa que, neste momento, a compra do imóvel à vista para alugar pode ser uma boa opção.

É importante observar que estamos em uma sequência de altas da Selic, com previsão de novas altas e estimativa para fechar 2021 em 7,25%. Isso irá impactar outras taxas, inclusive o CDI, podendo alterar essas definições. 

Ilustração mostra homem com um imã gigante atraindo cédulas de dinheiro e moedas.

Comprando um imóvel financiado

Para quem pretende comprar um imóvel financiado, outras questões devem ser consideradas como, por exemplo, a realização do sonho da casa própria. É claro que questões práticas são importantes, mas devem invalidar a sua meta pessoal. 

Então, antes de mais nada, se ter sua casa ou apartamento próprio é um objetivo de vida, leve isso em consideração na hora de tomar a decisão. Avalie as demais questões como renda, perspectiva profissional, capacidade de assumir um compromisso financeiro mais longo, endereço do imóvel etc. e pesquise as melhores condições de taxa e prazo. 

No entanto, se você está avaliando investir em um segundo imóvel, dando uma entrada e financiando o restante, vale ponderar se investir o valor da entrada em um produto de renda fixa não seria mais rentável a longo prazo. Por exemplo, digamos que você tenha R$ 100 mil para dar de entrada e financiar o restante em 20 anos. Descubra se, em 20 anos, a rentabilidade desses R$ 100 mil em um produto de renda fixa, não seria mais vantajoso do que assumir os juros e as taxas de um financiamento. 
Seja qual for a sua escolha, o Banco Bari pode te ajudar. Oferecemos as melhores condições tanto em crédito imobiliário, quanto em produtos de renda fixa para investir. Acesse o site e conheça os nossos serviços

 

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.