O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Educação Financeira

Juros simples e composto: quais as diferenças e como calcular

08 NOV 21
COMPARTILHE

Os juros simples e compostos são importantes conceitos para entender como funcionam os empréstimos e os investimentos 

O mundo das finanças pode parecer um mistério para muita gente, principalmente quando falamos em compreender como funcionam os juros simples e compostos

E se você está pensando em investir, já investe ou tem algum empréstimo, os juros fazem parte da sua vida e é fundamental entender como eles funcionam. 

Continue neste artigo para entender de forma simples e rápida tudo sobre juros simples e compostos e como calcular. Confira!

O que são juros?

O juros é definido como o rendimento que se tem ao emprestar uma quantia de dinheiro por um período de tempo específico. 

Para o credor, os juros são uma forma de compensar o tempo que ele ficou sem o seu dinheiro, que está emprestado. 

Já no caso de quem faz um empréstimo ou compra a crédito, os juros são o acréscimo pago por essa pessoa referente ao uso do dinheiro emprestado ou o pagamento parcelado do valor de um bem. 

Os juros são definidos por uma taxa percentual. As instituições financeiras brasileiras utilizam uma taxa de juros básica, a taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia), criada pelo Banco Central do Brasil. A taxa Selic também é utilizada pelo comércio como referência para os juros. 

Além disso, a depender do contrato, os juros também acompanham:

  • Os riscos do empréstimo (quanto maior o risco, mais elevados são os juros);
  • O índice de inflação;
  • Custos administrativos;
  • Compensação da não reaplicação do dinheiro.

Leia também: Juros: você sabe quanto está pagando ou recebendo?

O que é o juros simples e composto? 

imagem vetorial de um homem sentado em cima de blocos, com um símbolo de cifrão e a imagem de uma seta subindo e descendo, terminando a inclinação em sentido para o alto

Saber o que são os juros simples e compostos é importante para entender como funcionam os investimentos e os empréstimos no Brasil. 

Os juros simples são cobrados em cima do valor inicial aplicado em uma transação. Por exemplo, se você emprestar R$ 100 com uma taxa de juros simples de 2% ao mês, os juros cobrados serão sempre esses 2% em cima do valor emprestado de R$ 100. 

Nesse caso os juros incidem de forma regular sobre o valor inicial, e não sobre o montante existente do mês anterior. 

No entanto, ainda que presente em algumas formas de empréstimo, financiamentos, impostos e aplicações financeiras, o formato de juros simples não é mais usado pelo sistema financeiro brasileiro. 

Já os juros compostos, também conhecidos como juros sobre juros, incidem sobre a somatória do capital do período anterior. 

No caso de uma quantia de R$ 100 emprestada com juros compostos de 10% ao mês:

  • No primeiro mês, o valor a ser pago seria R$ 110;
  • No segundo mês, o valor seria R$ 121, já que os 10% incidem sobre R$ 110;
  • No terceiro mês, os 10% serão sobre R$ 121, resultando em R$ 133.

E assim sucessivamente, até o fim do período de empréstimo. Muitos financiamentos e investimentos utilizam os juros compostos, pois eles apresentam uma maior rentabilidade para o investidor. 

Leia mais: Como a redução da taxa de juros afeta seu dia a dia?

Juros simples e composto: como calcular?

A fórmula do juros simples e composto se diferencia principalmente por conta da incidência do valor. O primeiro será sempre sobre o valor inicial e o segundo sobre o valor do mês anterior.  

A seguir confira a calculadora de juros simples e composto:

Juros simples

A fórmula para o cálculo do juros simples é a seguinte:

F = P (1 + n x i)

  • F para montante ou capital final;
  • P para capital inicial ou principal (o valor presente);
  • n  para prazo (dias, meses ou anos);
  • i  = taxa de juros.

Vamos utilizar o exemplo acima para fazer o cálculo de juros simples. Um empréstimo de R$100, com uma taxa de juros de 2% (0.02) e em um período de dois meses. Veja o cálculo: 

F = 100 (1 + 2 x 0.02)

F = 100 (1 + 0.04)

F = 100 x 1,04

F = 104

Isso significa que ao final de 2 meses a pessoa que pegou emprestado deverá pagar R$104, ao invés de R$100. O mesmo cálculo vale para investimentos, o dinheiro aplicado, R$100, renderá R$104 ao final de 2 meses.

Juros compostos

A fórmula para o cálculo dos juros compostos é, no entanto, um pouco mais complicada do que a de juros simples. Confira: 

F = P(1 + i)n

  • F para montante ou capital final;
  • P para capital inicial ou principal (o valor presente);
  • i para Taxa de juros;
  • n para prazo (dias, meses e anos).

Vamos utilizar o mesmo exemplo dos juros simples para fazer o cálculo de juros compostos. Vamos ao cálculo:

F = 100 (1+0.02)2

F = 100 (1,02)2

F = 100 x 1,04

F = 104,04

Portanto, com uma taxa de juros compostos aplicada, o valor pago pelo empréstimo será de R$104,04 ao final de dois meses. O mesmo vale para o caso de aplicações financeiras. 

Diferença entre juros simples e compostos

A principal diferença entre juros simples e compostos está na incidência do juros sobre o valor. O primeiro incide sobre o valor inicial e o segundo sobre o montante ao final de cada mês. 

A seguir nós separamos outras diferenças entre essas duas taxas de juros: 

Simples:

  • Pagamentos são realizados periodicamente (periodicidade mensal ou anual);
  • Os juros não variam, mas podem reduzir a depender da inflação;
  • Não apresentam boa rentabilidade para os investimentos.

Compostos: 

  • Pagamento é feito no vencimento do empréstimo;
  • Os juros aumentam quando forem maior do que a inflação;
  • Apresentam boa rentabilidade para os investimentos.

Juros simples e compostos: empréstimos e investimentos

Ao entender como funcionam os juros simples e compostos, fica mais fácil saber como operam os investimentos e os empréstimos. 

As aplicações financeiras, como LCIs, LCAs, CDBs, Tesouro Direto, Fundo Imobiliário, poupança, entre outras, são baseadas nos juros compostos. O que representa um bom negócio para o investidor. Porém, nem todas possuem a mesma rentabilidade, como as CBDs e a poupança. Ao investir, fique atento e conheça a aplicação financeira. 

Leia também: CDB ou LCI: qual o melhor investimento? 

No caso dos empréstimos, a maioria das instituições financeiras vai usar os juros compostos. O que pode ser um problema para os tomadores de crédito que não se planejarem financeiramente. Isso porque, a dívida pode virar uma bola de neve, já que os juros incidem sobre os juros. 

Portanto, concluímos que as diferenças entre juros simples e composto podem ter vantagens e desvantagens a depender dos produtos financeiros, como os investimentos e empréstimos. 

Comece a investir com a conta digital do Banco Bari

Agora que você já sabe como funcionam os juros compostos que são usados nos investimentos, é o momento certo para investir. Com a conta digital do Banco Bari você tem acesso a produtos de investimento de renda fixa, como CDB e LCI. 
Com a conta digital você também consegue organizar a sua carteira de investimentos e verificar a sua rentabilidade facilmente. Tudo no nosso app! 

 

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.