O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Investimentos

Liquidação financeira: o que é e como funciona

26 AGO 21
COMPARTILHE

A liquidação financeira envolve a transação de ativos no mercado de ações e Tesouro Direto 

O termo liquidação financeira, ou cash settlement, se refere a quantia que o comprador repassa ao vendedor no fechamento de uma negociação. Essa quantia pode ser relacionada tanto à venda de ativos, quanto de valores imobiliários. 

No setor de investimentos, essa modalidade de liquidação corresponde à etapa final de uma transação de ativos, concretizando os objetivos tanto do comprador, quanto do vendedor.

Portanto, a liquidação financeira está presente em todos os mercados de ações e demais títulos. Ela é diferente da física, que exige apenas que a titularidade de um bem ou ativo seja modificada.

Liquidação financeira no mercado de ações

A concretização da etapa final do processo de compra e venda de ativos envolve uma série de agentes, incluindo corretoras, instituições custodiantes e companhias de compensação e liquidação. 

No momento em que a compra e a venda de ativos é concluída, a Bolsa de Valores e a corretora entram em contato para confirmar a transferência.  A confirmação engloba o bloqueio e a entrega das ações, que devem ter sua titularidade modificada pela instituição custodiante. 

Leia também: Mercado financeiro, o que esperar e que incertezas ele pode nos trazer

A partir daí, as ações passam para a posse do comprador e o vendedor recebe a quantia acordada.

A Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) e a Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos (Cetip) são responsáveis pela liquidação financeira no Brasil. 

Já as corretoras têm o papel de intermediar os processos entre as instituições e os investidores. 

É de responsabilidade das corretoras, portanto, fornecer à CBLC e à Cetip as informações dos investidores envolvidos na transação de ativos. Ao mesmo tempo que entrega aos investidores os relatórios produzidos pelas instituições. 

O prazo para a liquidação financeira foi reduzido pela Bolsa de Valores, em 2019, de 3 dias úteis (D+3) para 2 dias úteis (D+2). 

Sendo D, o dia em que a operação de venda foi consolidada e D+1, o primeiro dia após a operação marcado pela intermediação das corretoras. É por isso que o vendedor não recebe imediatamente o valor da venda de suas ações. 

O prazo também é usado para quem compra ações, podendo realizar o pagamento em até dois dias úteis (D+2).  Avanços tecnológicos e operacionais permitiram que a Bolsa de Valores diminuísse o prazo para liquidação financeira.

A liquidação mais rápida também trouxe maior liquidez, menor risco operacional e diminuição dos custos das negociações.

Por isso, é importante ter planejamento financeiro na hora de investir, para não usar o valor de suas reservas caso precise do dinheiro aplicado em ações imediatamente após a venda. 

ilustração de mão com dinheiro perto de mão sem dinheiro
A liquidação financeira é uma das modalidades mais seguras do mercado de investimentos

Liquidação financeira no Tesouro Direto

O Tesouro Direto foi criado pelo Governo Federal para que pessoas físicas pudessem negociar títulos. 

Leia também: Fundo garantidor de crédito, o que é e em que momento utilizar

É uma das modalidades de investimento mais seguras do mercado. Já que o investidor faz uma espécie de empréstimo para o Governo Federal, que em troca fornece a ele títulos de crédito. 

A liquidação financeiro no Tesouro Direto ocorre das seguintes formas: 

Liquidação da venda

Os recursos das vendas dos títulos são disponibilizados na instituição financeira envolvida, chamada Agente de Custódia, a partir das 13 horas do dia seguinte (D+1) ao dia da venda (D). 

O dia D corresponde ao período entre 9 da manhã do dia da venda até 5 da manhã do dia após a venda (D+1). O vendedor, geralmente, recebe o dinheiro dois dias úteis (D+2) após o dia D.

Liquidação da compra

A finalização da compra ocorre às 5 da tarde do segundo dia após a compra (D+2). Efetuada a liquidação, os títulos ficam disponíveis e registrados no extrato do comprador por meio do CPF. 

É possível verificar se a liquidação foi completamente finalizada pelo site do Tesouro Direto

Investir é no Banco Bari

Abra uma conta digital no Banco Bari e conheça os nossos produtos de investimento, que incluem Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI).

Por meio do app, você tem acesso a informações sobre rentabilidade, vencimentos, investimento mínimo e liquidez de aplicações em um ambiente seguro.  

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.