O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Investimentos

Fundo garantidor de crédito, o que é e em que momento utilizar

14 JUN 21
COMPARTILHE

Proteção é tudo que você precisa para se sentir seguro ao investir

Investir ainda é um grande tabu para muitos brasileiros, isso é fato. Não saber lidar com dinheiro e não se sentir seguro são resultados da falta de educação financeira que se refletem nas estatísticas, já que o Brasil teve investimentos negativos de 2016 a 2019.

Se você é um investidor iniciante e também tem receio de aplicar o seu dinheiro com medo de perder as suas economias, precisa conhecer o Fundo Garantidor de Crédito e todos os benefícios que ele oferece. Então acompanhe o conteúdo a seguir e fique por dentro!

O que é FGC?

É natural que você esteja se questionando “o que é FGC?” e a resposta para essa pergunta é bastante simples. O Fundo Garantidor de Crédito é o que o próprio nome sugere: uma entidade que age no intuito de proteger e garantir a segurança do seu investimento.

O FGC entra em ação quando a instituição na qual você fez o investimento apresenta pedido de falência reconhecido pelo Banco Central do Brasil. Ele age preservando o investimento e impedindo que você fique sem receber os rendimentos que foram acordados.

Objetivo do Fundo Garantidor de Crédito

Mas o FGC não atua única e exclusivamente para garantir o seu investimento. Apesar de ser uma entidade privada, existem outros objetivos além de simplesmente te impedir de perder dinheiro, o que já não é pouca coisa.

Garantir a estabilidade do SFN

A entidade que tem como missão contribuir para a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional. Quando protege os seus investimentos, ele evita que o sistema financeiro brasileiro se desequilibre e cause prejuízos maiores.

Prevenção de crise bancária

Consequentemente, a prevenção da crise bancária também é um resultado da atuação do FGC. Já que garantir o seu crédito, também garante seu poder de circular dinheiro nas instituições bancárias do país.

Instituições associadas ao FGC

É importante entender que o Fundo Garantidor de Crédito tem validade para a maioria dos investimentos de Renda Fixa, mas atua intermediando ativos dos investidores apenas em instituições que são associadas a ele. Abaixo listamos as contempladas pelo FGC.

- Caixa Econômica Federal

- Bancos múltiplos, comerciais, de investimento e desenvolvimento

- Sociedades  de  crédito,  financiamento  e  investimento

- Sociedades  de  crédito imobiliário

- Companhias hipotecárias

- Associações de poupança e empréstimo

Ilustração mostra homem segurando um guarda chuva protegendo cédulas de dinheiro.

Se o seu investimento está em uma instituição com uma dessas características, pode ficar tranquilo porque você e ele estão protegidos de qualquer instabilidade. E se você está se perguntando qual a relação do FGC com a Renda Fixa, vamos te explicar.

Renda fixa e Fundo Garantidor de Crédito: qual a relação?

A associação entre os investimentos de Renda Fixa e o Fundo Garantidor de Crédito tem relação direta com a natureza desse benefício. Isso porque ele existe para dar segurança ao investidor e, portanto, é válido para investimentos conservadores.

Ou seja,  o benefício age diretamente em investimentos de Renda Fixa, que dão previsão ao investidor de quanto será o retorno recebido. Mesmo com essa característica, não são todos os ativos de Renda Fixa que são contemplados pelo FGC.

Tipos de Investimentos garantidos

Confira a seguir investimentos garantidos pelo FGC:

Certificados de Depósito Bancário (CDB)

Recibos de Depósitos Bancários (RDB)

Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA)

Letras de Câmbio (LC)

Letras Hipotecárias (LH)

Depósitos (à vista ou com aviso prévio de saque)

Depósitos em poupança

Depósitos em contas não movimentáveis

Operações que tenham como objeto títulos emitidos depois de 8 de março de 2012, por empresas ligadas

Todos esses investimentos têm como característica o risco zero para o investidor. Outra particularidade é que não são todos os valores cobertos pelo benefício. Existe um valor máximo garantido e falaremos dele a seguir.

Valor máximo garantido

O valor máximo garantido de proteção ao investidor é de 1 milhão de reais por CPF e 250 mil reais por instituição financeira. O que quer dizer que você pode ser beneficiado se tiver um investimento total de 1 milhão em aplicações de, no máximo, 250 mil por emissor.

Como o pagamento é realizado

01 Depois que uma instituição financeira quebra, ela tem a responsabilidade de listar os credores que devem ser beneficiados e o valor que cada um deve receber.

02 Após isso, tanto o Fundo Garantidor de Crédito quanto a instituição que decretou falência, informam aos credores sobre o acontecido.

03 Outro banco é autorizado a assumir essa dívida e fazer os pagamentos aos credores. Hoje, esse banco é o Bradesco e agências específicas são destinadas aos pagamentos. 

04 O pagamento é realizado e o investidor assina um documento em que atesta que recebeu a quantia.

Muito se pergunta sobre o prazo de pagamento, mas ele pode variar bastante. Existe um período entre a quebra da instituição e o pagamento do FGC que não pode ser medido. Mas, após o passo 03 ser efetivado, consta que o pagamento deve se iniciar entre 10 e 15 dias.

Riscos e vantagens

As principais vantagens são realmente a segurança e proteção que os investidores têm ao aplicar dinheiro em um Fundo Garantidor de Crédito. Mas é preciso lembrar que esses investimentos não podem ultrapassar os 250 mil por instituição bancária.

O que quer dizer que: caso você invista em credoras distintas, mas em um mesmo banco e aconteça a quebra dessa instituição, a depender dos valores investidos, o FGC não pagará o valor global.

Entretanto, esse é o menor dos riscos, já que você estará aplicando em investimentos conservadores. Agora se prepare para essa dica: Quer saber se um banco é associado ao FGC? Acesse o site do Banco Central e faça a pesquisa em “cadastro de instituições”.

Assim você estará mais preparado para investir. E já sabe, para ficar por dentro de todas as novidades sobre o sistema financeiro e se manter sempre atualizado, acompanhe o Blog do Banco Bari, com os melhores conteúdos para deixar você sempre bem informado!

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.