O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Investimentos

5 passos para começar a investir

03 AGO 21
COMPARTILHE

Pela quarta vez consecutiva, o Banco Central deve aumentar a Selic. A aposta dos economistas é que, na reunião de hoje, a taxa de juros aumente, no mínimo, 0,75 ponto porcentual, de 4,25% ao ano para 5% ao ano. Essa alta significa que aplicações de renda fixa vão se tornar ainda mais vantajosas. E esse tipo de investimento é o melhor caminho para quem quer começar a investir. 

Engana-se quem ainda acredita que investir é só para quem tem dinheiro. Hoje, com uma variedade de opções, alocar recursos em investimentos pode se adaptar a qualquer tipo e tamanho de orçamento, sem precisar se tornar um peso. A partir de apenas R$ 50, já é possível começar a aplicar o dinheiro. 

Investir é uma importante etapa na educação financeira e é fundamental para acelerar a conquista de seus objetivos, sejam eles de curto, médio ou longo prazo. Em 5 passos, saiba como começar a investir. 

1 - Defina os seus objetivos

Investir sem ter um objetivo não dá certo. Por isso, o primeiro passo para quem está começando é se perguntar: quais são suas metas? Sonhos? Eles devem ser definidos e separados em curto, médio e longo prazo. Com os valores e o tempo que pretende alcançar cada um. Pode ser desde uma viagem em 6 meses ou até uma aposentadoria daqui a 10 anos. 

2 - Poupe!

Com os objetivos em dia, a próxima etapa é ajustar o seu orçamento. Investir significa poupar e criar o hábito de controlar as finanças. Há diversos caminhos para colocar as contas em ordem, um deles é adotar o método 50-30-20. Ou seja, dedicar 50% da renda para gastos essenciais, luz, água e comida, 30% para manter os gostos, como streaming, roupas, etc, e os 20% restantes podem ser para investimentos. Assim, não só fica mais fácil direcionar todo mês uma quantia para investir, que estão indo direto para suas metas, mas também cortar os gastos extras.

3 - Conheça seu perfil

Antes de começar a investir é necessário conhecer o seu perfil. Isso significa entender qual o nível de risco que você está disposto a correr, conforme os recursos disponíveis para alcançar os seus objetivos. Uma ferramenta que ajuda a descobrir o seu perfil, é um questionário aplicado pelos próprios bancos e corretoras. 

O perfil é dividido entre: conservadores, aqueles que não querem correr risco nenhum e costumam alocar grande parte dos recursos em renda fixa; moderados, que procuram investir uma parte em ativos de maior risco e uma parte em ativos com baixo risco; e agressivos, que buscam ativos mais arriscados como renda variável. 

 

Ilustração mostra uma mulher interagindo com vários ícones que representam dinheiro.
Para começar a investir não é preciso muito dinheiro e sim planejamento. 

4 - Invista numa reserva 

No entanto, independente do seu perfil, todos aqueles que estão começando a investir precisam dar preferência para a reserva de emergência. Esse colchão, que normalmente representa um valor para seis meses de despesas, é fundamental para qualquer um que deseja melhor controle de suas finanças. 

Esse dinheiro deve ser investido em um ativo de alta segurança. Ou seja, renda fixa, quando o rendimento é definido desde o momento da aplicação. Isso permite não só menos riscos, mas que você tenha rápido acesso, caso alguma emergência ocorra. Uma boa opção são os CDBs de liquidez diária, investimentos em renda fixa que você pode sacar quando precisar. Hoje existem aplicações que pagam até 110% do CDI.

Só depois de criar uma reserva você pode diversificar sua carteira de acordo com seu perfil e suas metas. 

5 - Acompanhe 

Como tudo na educação financeira, investir é um hábito e requer que uma quantia seja reservada para isso todo mês. Além disso, deve ser mantido mesmo quando os objetivos vão sendo alcançados, reajustando a carteira de acordo com as novas metas. 

É importante ainda que o investidor acompanhe frequentemente a aplicação do seu dinheiro, para saber quanto está rendendo e se está de acordo com seu plano. Hoje, todo esse processo se tornou muito fácil e pode ser feito pelo celular.

Conteúdo produzido em parceria com o Canal Meio. 

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.