O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Parceiros

Empréstimo
/ Home Equity

A forma mais inteligente de conseguir o dinheiro que você precisa para obter capital de giro, ampliar o negócio e manter bom fluxo de caixa.

Saiba todos os detalhes
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
Investimentos

O que é renda fixa e o que preciso saber para começar a investir?

18 MAR 21
O que é renda fixa e o que preciso saber para começar a investir?
COMPARTILHE

Saber o que é renda fixa e entender melhor as características dessa modalidade é o primeiro passo para entrar no mundo dos investimentos. Confira todos os detalhes neste artigo.

Está pensando em investir, mas não sabe muito bem por onde começar? Para dar o passo inicial em qualquer empreitada, o mais importante é estar bem informado. No mundo dos investimentos não é diferente. 

Para quem nunca investiu, o ideal é procurar aplicações seguras e com rendimentos previsíveis no momento da compra do título. Assim são os investimentos em renda fixa, tema deste artigo. 

Aqui, vamos te explicar o que é renda fixa, como essa modalidade de investimento funciona, os principais termos utilizados e títulos oferecidos.

Antes, porém, é importante estar por dentro do cenário econômico atual. 

Mais brasileiros investidores

De acordo com dados do Raio X do Investidor Brasileiro (6ª edição), organizado pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), apenas 36% da população investiu em produtos financeiros em 2022. O que equivale a cerca de 60 milhões de brasileiros. O número pode parecer baixo, mas já foi menor: em 2021, era 31%.

Para 2023, a previsão da Anbima é uma alta de 5 pontos percentuais. Isso representa 9 milhões de pessoas a mais entrando no universo dos investimentos. Se você faz parte dos 64% de brasileiros que não têm investimentos, mas deseja entender melhor o que é renda fixa e sair do zero, veio ao lugar certo. 

O que é renda fixa

Renda fixa é uma modalidade de investimento na qual você empresta dinheiro para uma instituição financeira, pública ou privada, e recebe uma remuneração, também chamada de juros. Esses juros são os chamados rendimentos e são definidos no momento da compra do título. 

Essa modalidade é a mais procurada por investidores que buscam estabilidade, segurança e também por quem nunca fez investimentos, justamente por ter uma rentabilidade previsível e oferecer baixo risco financeiro. 

Tipos de rentabilidade

Os investimentos de renda fixa podem ter rentabilidade prefixada ou pós-fixada: 

  • Prefixada: são aplicações nas quais os juros renderão uma porcentagem determinada no momento da compra.
  • Pós-fixada: aqui, a aplicação rende um percentual de uma taxa (CDI, Selic, entre outras), definida no momento da aplicação.

O que é CDI

CDI é a sigla para Certificado de Depósito Bancário, um título emitido pelos bancos, para que realizem investimentos entre si. A média dessas transações gera uma taxa que funciona como uma marcação para outros investimentos. 

Vários títulos pós-fixados de renda fixa têm a rentabilidade atrelada ao CDI. Por exemplo, um CDB que rende 130% do CDI. Isso significa que esse produto irá render 100% + 30% do CDI.

Atualmente, o CDI está em 13,65% ao ano. Isso significa que qualquer valor aplicado com rentabilidade de 100% do CDI renderá essa porcentagem. 

O que é Selic

Selic ou Sistema Especial de Liquidação de Custódia é a taxa básica de juros da economia brasileira. Esse sistema registra todas as operações relacionadas aos títulos escriturais do Tesouro Nacional.  

Algumas aplicações, como a poupança, utilizam como indexador a Selic, que também influencia diretamente o comportamento de outras taxas como o CDI e o IPCA.

A Selic é estabelecida pelo Copom (Comitê de Política Monetária) em reuniões periódicas. No momento, a Selic está em 13,75% ao ano.

Quais os principais títulos de renda fixa

No mercado brasileiro, existem vários tipos de aplicações na renda fixa. Elas se diferenciam por risco, rentabilidade, prazo, emissor, entre outros critérios. Confira os investimentos mais populares dessa modalidade.  

Poupança

A caderneta de poupança ainda é a aplicação de renda fixa mais utilizada pelos investidores brasileiros, apesar de vir perdendo força nos últimos anos. E a principal causa disso é o baixo rendimento oferecido, mesmo quando comparado a outros títulos de renda fixa. Você vai entender melhor na sequência.

Como vimos anteriormente, a Selic está em 13,75% ao ano. Quando esse número é igual ou abaixo de 8,5%, o rendimento da poupança corresponde a 70% da taxa de juros mais a taxa referencial, que varia diariamente. No entanto, quando a Selic ultrapassa 8,5%, como é o caso atual, a rentabilidade passa para 0,5% ao mês mais o pagamento da taxa referencial (TR).

A maioria dos bancos oferece conta poupança e a rentabilidade dessa modalidade é a mesma em qualquer instituição, por isso, a escolha do banco não irá influenciar no rendimento do seu investimento. 

Ainda de acordo com o Raio X do Investidor Brasileiro, da Anbima, a caderneta de poupança continua sendo o produto financeiro mais consumido pelos brasileiros, com 26% de preferência. Por outro lado, o percentual da população que não conhece ou não utiliza nenhum tipo de investimento teve uma queda significativa, recuando de 72% em 2021 para 60% em 2022. 

CBD

CDBs ou Certificados de Depósito Bancário são títulos emitidos pelos bancos para captar recursos. Ou seja, ao investir em um CDB, você empresta dinheiro ao banco, que utiliza esses recursos nas concessões de crédito. Em troca, você recebe juros por um determinado período. 

Quanto à rentabilidade, existem CDBs prefixados e pós-fixados. Nos prefixados, o investidor pode calcular exatamente qual será a sua rentabilidade no vencimento do título. Isso é possível porque a taxa de juros é definida no momento da compra. Exemplo: CDB prefixado com taxa de 7% ao ano.  

Os pós-fixados, normalmente, utilizam como indexador o CDI. Os títulos oferecem uma porcentagem dessa taxa como rendimento. Exemplo: CDB pós-fixado com remuneração de 120% do CDI ao ano. 

LCI

LCIs ou Letras de Crédito Imobiliário também são títulos emitidos pelos bancos, mas especificamente para financiar empreendimentos no setor imobiliário. Ao aplicar em uma LCI, o investidor está emprestando dinheiro ao banco e recebe juros em contrapartida. 

Um grande diferencial e vantagem desse tipo de aplicação é um benefício fiscal: são isentas de Imposto de Renda.

As LCIs são lastreadas na carteira de empréstimos relacionados ao setor imobiliário mantida pelas instituições emissoras. E quanto à rentabilidade, assim como CDBs, as Letras de Crédito Imobiliário podem ser prefixadas ou pós-fixadas. 

Nas LCIs prefixadas, o investidor recebe uma taxa de juros definida já no momento da aplicação. Dessa forma, é possível calcular exatamente a remuneração que ele obterá no vencimento. Exemplo: LCI prefixada com taxa de 5% ao ano. 

Já as LCIs pós-fixadas, normalmente, utilizam como indexador a taxa CDI. Os títulos oferecem uma porcentagem dessa taxa como rendimento. Exemplo: LCI pós-fixado com remuneração de 110% do CDI ao ano. 

Bônus: o que é FGC e qual a sua importância

FGC é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que tem como objetivo proteger investidores que colocam seu dinheiro em aplicações de instituições financeiras associadas a ele. 

A entidade cobre investimentos de até R$ 250 mil por CPF/CNPJ em cada conglomerado financeiro, com teto de R$ 1 milhão por investidor renovado a cada quatro anos. Consulte aqui a lista completa de instituições associadas.

Agora que você sabe o que é renda fixa, que tal começar a investir? No Banco Bari, é possível aplicar com valores a partir de R$ 50. Acesse nossa plataforma completa, descubra o produto de investimento certo para o seu perfil e faça seu dinheiro render mais. 

Para saber mais: Onde investir meu dinheiro? Guia do investidor iniciante

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.