O Banco

Para você

Para sua empresa

Blog

Empréstimo
/ home equity

Crédito com garantia de imóvel para você usar como quiser.

Saiba mais
2ª via do boleto

Serviços ao mercado financeiro

Saiba mais
MEI

Por que o capital de giro para MEI é tão importante?

31 MAR 22
COMPARTILHE

O capital de giro para MEI tem ligação com a capacidade de rendimentos do microempreendedor, e é especialmente relevante para o funcionamento permanente da empresa.

Quer abrir seu próprio negócio, mas está sem capital de giro? Sua preocupação é muito importante, pois sem isso, fica complicado uma empresa conseguir se sustentar por muito tempo.

Podemos dar um exemplo disso perante à crise econômica enfrentada nos últimos anos. Quantos negócios não fecharam nesse meio tempo devido à falta de crédito concedido no mercado e, consequentemente, a ausência de capital de giro para manter a empresa?

Para auxiliar no seu sucesso como microempreendedor individual, preparamos este artigo explicando como conseguir capital de giro para MEI para que você consiga dar início à sua saga como empreendedor.

O que é capital de giro?

O capital de giro para MEI se baseia no ativo circulante, que é a capacidade de rendimentos do microempreendedor, e passivo circulante, que são as contas a pagar.

Um capital de giro ideal tem ambos o ativo e o passivo circulante bem equilibrados entre si, ou seja, a capacidade de lucro é equivalente à capacidade de rendimento do negócio. 

Por que o MEI precisa de capital de giro?

O capital de giro se faz extremamente necessário para o nascimento e sobrevivência de qualquer empresa. Sem ele, fica impossível lidar com questões básicas, como pagamento de contas de consumo, fornecedores e funcionários, abastecimento de estoque, compra de insumos, obras, consertos, emergências etc. 

Até mesmo a capacidade de fornecer pagamentos parcelados aos clientes fica comprometida sem um capital de giro alto, afinal, a empresa deverá ter uma reserva em caixa até a quitação de todas as parcelas.

Ou seja, sem um capital de giro, não existe microempresa e consequentemente, não existe microempreendedor. Isso significa que para abrir e manter o seu negócio, você precisará primeiro providenciar um capital de giro capaz de gerar lucro, cobrir débitos, e de quebra, cobrir imprevistos.

Quanto pedir de capital de giro?

Há várias nuances que determinam o valor ideal de capital de giro numa empresa. Primeiramente, será necessário colocar na ponta do lápis todos os aspectos citados no tópico anterior para, assim, estipular mais precisamente o valor total necessário para manter a sua empresa em pleno funcionamento.

Geralmente, o valor estimado de capital de giro para MEIs é de R$6 mil em média, incluindo 5% de margem de segurança para ocasionalidades, a famosa reserva de emergência.

Essa é uma economia mais do que necessária para quem atua com o seu próprio negócio, pois no Brasil, o cenário econômico muda o tempo todo. Por isso, é preciso se prevenir para não ser pego desprevenido.

Como conseguir capital de giro sendo MEI?

ilustração de uma mulher com um gráfico em pizza e homem segurando uma seta para o alto, bem como um monitor

Quer saber como conseguir capital de giro para MEI? As linhas de crédito mais comuns para microempreendedores individuais são o microcrédito, adiantamento de recebíveis e o home equity.

1. Microcréditos

Apesar de se encaixarem como empréstimos para MEIs, os microcréditos oferecidos no mercado são mais favoráveis a grandes empresas, pois seu valor cedido é inversamente proporcional ao porte da organização. Isso significa que empresas maiores terão mais crédito disponível, enquanto que microempreendedores já não terão acesso a valores tão interessantes.

No geral, os valores cedidos no microcrédito poderão chegar a R$ 15 mil, com a quitação da dívida entre 4 e 24 meses.

Leia também: Crédito para MEI: tudo o que você precisa saber.

2. Adiantamento de recebíveis

O adiantamento de recebíveis consiste no acerto antecipado de valores que foram pagos em forma de prestações ou parcelas ao microempreendedor individual. Ou seja, há uma antecipação de pagamentos que chegariam ao MEI somente após a quitação de todas as parcelas. Com os valores totais disponibilizados após negociação, será possível alavancar o seu empreendimento e adquirir capital de giro.

Essa linha de crédito oferece juros que são bem menores se compararmos ao tradicional empréstimo disponibilizado por instituições financeiras.

3. Home equity

Também conhecido como empréstimo com garantia de imóvel, o home equity proporciona valores interessantes aos microempreendedores individuais. O total do empréstimo concedido é calculado de acordo com porcentagens, que variam entre 40%, 60% e até mesmo 100% sobre o valor total do imóvel.

Essa modalidade é muito vantajosa, pois além de contar com um valor generoso disponibilizado, taxas de juros baixas e parcelas longas, o investimento pode ser direcionado para o que o microempreendedor desejar, não apenas em assuntos do seu negócio. E mais: não é obrigatório ser MEI para solicitar o serviço, ou seja, pessoas físicas também podem recorrer ao home equity.

Quer saber mais? Veja as etapas de contratação do home equity!

Quanto tempo de MEI devo ter para fazer empréstimo?

Instituições financeiras liberam linhas de crédito ao MEI após 6 meses de CNPJ ativo. Para quem acaba de abrir o CNPJ e necessita investir na sua empresa o quanto antes, talvez esse seja um tempo muito longo para aguardar até conseguir um financiamento para o seu negócio. 

Nesse caso, será necessário então pensar em outras alternativas, como o home equity, que, como já mencionamos, está disponível para pessoa física e jurídica.

Como solicitar o empréstimo do governo para MEI?

Há 3 principais linhas de crédito disponibilizadas pelo governo para MEIs:

1. Microcrédito do BNDES

No microcrédito do BNDES, os valores de empréstimo total podem atingir R$ 20 mil, com 4% de juros ao mês e parcelas de 36 vezes. O único porém é que o programa não aceita microempreendedores com o nome sujo e nem com 30% da renda comprometida.

2. SIM Digital

A mais nova linha de crédito da Caixa, o SIM Digital – Programa de Simplificação do Microcrédito Digital, foi lançada no último dia 28 de março e disponibiliza empréstimo inclusive para quem está com o nome sujo. Os valores do programa, porém, são baixos, chegando a R$ 3 mil no máximo.

3. Pronampe

O Pronampe está disponível não apenas para MEIs, mas também para pequenas e microempresas, tornando o processo bem mais concorrido. O valor cedido gira em torno de 30% sobre o valor de faturamento de 2019 e 2020, com 11 meses para começar a pagar a primeira parcela e 48 meses para quitar a dívida.

Qual banco faz empréstimo para MEI?

O Banco Bari fornece as melhores condições de empréstimo para  capital de giro para MEI através da nossa Linha de Crédito com Garantia de Imóvel. Ao adquirir, você poderá ter acesso a até 60% do valor total do seu imóvel, que servirá de capital de giro para MEI e o que mais você quiser.

Se quiser saber mais, veja as condições e vantagens do empréstimo focado em capital de giro para microempreendedores individuais!

Veja também

Este site usa cookies e outras tecnologias que ajudam a personalizar o conteúdo de acordo com nossaPolitica de Privacidade. Ao continuar navegando, você declara estar ciente dessas condições.